Arquivo da categoria: família

Conta, conta e reconta!

Olá!

Como diz o ditado popular que temos aqui no Brasil, “quem já viu não se admira, quem nunca viu não sabe o que é” se aplica também ao ponto cruz.

Fazer trabalhos em ponto cruz maiores do que normalmente bordamos em uma toalha, é mais complicado. É um tal de conta ponto pra cá, conta ponto pra lá sem fim!
20130828-201147.jpg
Sempre tem como facilitar esse trabalho, usando a técnica do pingado. Com canetinha, daquelas do tipo hidrocor, a gente marca os pontos no tecido. Essa técnica ajuda muito! Mas é preciso ter cuidado com o tipo de canetinha que for usar! Importante que seja do tipo “lavável”. Pra não atrapalhar muito, costumo procurar uma cor mais próxima da linha que vou bordar.

Mas mesmo usando a técnica do pingado, a gente tem que contar e recontar os pontos, pra não marcar errado! É preciso um pouco de paciência, mas depois que esta tudo marcado é só ir bordando e cobrindo de acordo com a marcação! So alegria!

No quadrinho para a minha sobrinha Marina não estou usando a técnica do pingado, pelo menos no tecido… Estou usando no papel, ja que o gráfico é monocromático.
20130828-200631.jpg
E por essa razão, meus dias, após o trabalho, tem sido de contar e recontar pontos… Mas eu adoro! Já fico pensando na chegada dessa pequena… Como ela será…?

Beijinhos!

Linhas, agulhas, pontos e histórias!

Olá!

O Banco do Nordeste tem um programa aqui em fortaleza que se chama Percursos Urbanos. Por indicação de uma colega de trabalho, que sabe do meu gosto pelo mundo dos trabalhos manuais, eu fui com a minha mãe, claro. O tema era “Agulhas, ponto e linha”… Fofo né?

Quem nos conduziu foi a simpática Simone Barreto. A primeira parada era na casa dela, onde sua mãe nos apresentaria os bordados que faz. No caminho, Simone falou um pouco sobre a sua relação com o bordado, e que apesar de ter mãe bordadeira, nunca havia se interessado pelas linhas e agulhas, até pouco tempo. Outras mulheres que participavam dessa aventura (cerca de 30) também falaram da importância dos bordados em suas vidas e o que ele representa. No nordeste em geral, essa é uma herança passada de mãe pra filha. Tenho orgulho de ter isso na minha história também.
20130131-142805.jpg
Antes de chegar até nosso primeiro destino, Simone nos contou a história de Ariadne, que se apaixonou por Teseu e que, com a ajuda de um novelo de linha dado por sua amada, conseguiu entrar no labirinto, matar o minotauro e sair de lá vivo, livrando assim a cidade de Creta da tirania do terrível minotauro.
20130131-142657.jpg
Chegamos na casa da Simone e fomos muito bem recebidas pela mãe dela, que com carinho nos apresentou um pouco de sua arte, tanto com as linhas e agulhas.
20130131-142621.jpg
Embarcamos novamente no ônibus, e o trajeto até a segunda parada foi bem rápido. Fomos à casa de uma senhora (infelizmente não memorizei o nome dela…) que nos mostrou peças bordadas que trazem com elas muita, mas muita história. Ouvimos apenas algumas delas, claro.
20130131-142736.jpg
Mas foi muito bom ouvir histórias curiosas, como a de uma tia que desfez um noivado e, com raiva do noivo, queimou todas as peças do enxoval, com exceção de uma colcha de cama, que deu pra essa senhora. Algumas pessoas ficaram com receio que a tal colcha desse azar, mas ela não se importou. Bom, ela esta casada até hoje! 🙂
20130131-142723.jpg
Depois de ouvir essas histórias, no último trecho dessa aventura, no ônibus, a Simone nos faltou de Penélope que por vinte anos esperou a volta de seu marido Ulisses, da Guerra de Tróia.
Os anos passavam e não havia notícia de Ulisses. Assim, o pai de Penélope sugeriu que sua filha se casasse novamente. Penélope, fiel ao seu marido, recusou, dizendo que esperaria a sua volta.
20130131-142758.jpg
Porém, diante da insistência do pai, estabeleceu a condição de que o novo casamento somente aconteceria depois que terminasse de tecer um sudário para seu sogro. Assim, ela esperava adiar o evento o máximo possível. Durante o dia, aos olhos de todos, Penélope tecia, e à noite, secretamente, ela desmanchava todo o trabalho. E foi assim até uma de suas servas descobrir o ardil e contar toda a verdade.

Foi uma tarde de sábado muito gostosa! Sei que o banco do nordeste deve promover outras tardes assim… Ficarei atenta! 😉

Beijinhos!

Baile da Melissa – A preparação #2

Olá!

Para homenagear a minha mãe nessa semana especial, preciso dizer pra vocês: a minha mãe tem mãos de fada!
E ela fez um vestido de amor pra Melissa!
Essa foi a conclusão a que cheguei quando vi a Melissa com o vestido que a minha mãe fez pra ela. A doce Melissa com seu doce vestido….

20120425-101657.jpg

O vestido ainda em execução

Eu e minha irmã ajudamos com as rendas e algumas idéias, mas quem colocou todo o seu amor na ponta da agulha foi a fada, minha mãe!

Preciso dizer que a minha mãe botava fé de que conseguiria. Dizia que era difícil, que não sabia fazer roupa pra criança, que não ficaria bom, que não conseguiria…. mas a minha irmã acreditava.

20120425-102353.jpg

Aqui o vestido já prontinho, esperando o dia do baile!

Agora entendo a insistência da minha irmã para que a mamãe fizesse o vestido da Melissa.


20120507-142137.jpg

A princesa e seu vestido de amor!


No primeiro baile da Melissa, sua roupa tinha que ser feita por mãos de fada…. uma avó-fada…..

Beijinhos!

Baile da Melissa – A preparação #1

Desde que começamos a preparar a festa da Melissa, eu quero mostrar pra vocês mais detalhes de cada coisa que preparamos. Mas nada poderia ser revelado até a festa acontecer, claro! Agora que a festa já aconteceu, posso mostrar! Ufa!

20120423-140929.jpg

20120423-135729.jpg
Tudo foi pensado pela minha irmã que contou com um time composto pelas titias e vovós da Melissa para a execução.

20120423-135738.jpg

20120423-135724.jpg
Usando alguns metros de fitas, rendas, algumas rosinhas, um pouco de cola quente, linha, agulha e muito, muito amor, conseguimos transformar caixinhas, potinhos, garrafinhas e tubinhos em singelos carinhos para os corações que, com alegria, se somaram aos nossos para comemorar o primeiro ano da nossa Melissa.

20120423-135745.jpg
Foram várias tardes reunidas na casa da minha irmã para preparmos tudo.

20120423-135833.jpg
Claro que a nossa princesa estava sempre participando de tudo com seu sorriso, aliviando o cansaço nas costas pelas horas a montar caixinhas e colar rendas e lacinhos e rosinhas…

Eu e a mamãe tivemos uma missão extra: fazer os vestidos das ursinhas que iam enfeitar as mesas dos convidados. Eram ursas grandes e pequenas. E nada de vestidinhos simples! Todos com renda, laços e fitas!

20120423-135658.jpg

20120423-135810.jpg
Como tanto a preparação da festa, como a festa propriamente dita, teve vários momentos a serem destacados, vou deixar pra contar mais nos próximos dias. 😉

Beijinhos!

“É de menino que se torce o pepino”

Olá!

Mal a doce Melissa nasceu e já vai fazer um ano! Como passa rápido, né? Parece que foi ontem quando minha irmã me ligou por volta das 11 da manha dizendo que a bolsa tinha rompido e que tava indo pra maternidade…

20120306-140719.jpg
Nesse dia eu tive uma das maiores emoções que vivi ate hoje quando a peguei nos braços pela primeira vez…

De lá pra ca, foram mais emoções e muita felicidade com a nossa princesa!

20120306-140749.jpg
Ela ta cada dia mais linda e mais sapeca! Já está com dois lindos e fortes dentinhos, já teima em subir sozinha as escadas e, cambaleante, já ensaia andar!

20120306-140805.jpg

Pra comemorar seu primeiro aniversário, estamos preparando uma festa linda! Pra agilizar tudo, levei a minha máquina pra casa da mamãe e lá temos passado boa parte do tempo costurando vestidinhos para 15 lindas ursinhas que vão decorar as mesas da festa.

20120306-140821.jpg
Como não costura, minha irmã nos ajuda cortando os tecidos, colocando as fitas de cetim no passa-fita e preparando os laços pra colocar na cabeça das ursas. Melissa fica no meio disso tudo! Pedindo nossa atenção quando nos concentramos em discutir o modelo dos vestidos e dos laços. Engatinha da sala pro quarto de costura e suas mãozinhas nao resistem a um pedaço de linha ou tecido no chão….. Tem a quem puxar, né? 🙂
Assim ela já vai se familiarizando com o cantar da máquina de costura trabalhando e com essa história de tecidos, agulhas e afins…..

Beijinhos!

"É de menino que se torce o pepino"

Olá!

Mal a doce Melissa nasceu e já vai fazer um ano! Como passa rápido, né? Parece que foi ontem quando minha irmã me ligou por volta das 11 da manha dizendo que a bolsa tinha rompido e que tava indo pra maternidade…

20120306-140719.jpg
Nesse dia eu tive uma das maiores emoções que vivi ate hoje quando a peguei nos braços pela primeira vez…

De lá pra ca, foram mais emoções e muita felicidade com a nossa princesa!

20120306-140749.jpg
Ela ta cada dia mais linda e mais sapeca! Já está com dois lindos e fortes dentinhos, já teima em subir sozinha as escadas e, cambaleante, já ensaia andar!

20120306-140805.jpg

Pra comemorar seu primeiro aniversário, estamos preparando uma festa linda! Pra agilizar tudo, levei a minha máquina pra casa da mamãe e lá temos passado boa parte do tempo costurando vestidinhos para 15 lindas ursinhas que vão decorar as mesas da festa.

20120306-140821.jpg
Como não costura, minha irmã nos ajuda cortando os tecidos, colocando as fitas de cetim no passa-fita e preparando os laços pra colocar na cabeça das ursas. Melissa fica no meio disso tudo! Pedindo nossa atenção quando nos concentramos em discutir o modelo dos vestidos e dos laços. Engatinha da sala pro quarto de costura e suas mãozinhas nao resistem a um pedaço de linha ou tecido no chão….. Tem a quem puxar, né? 🙂
Assim ela já vai se familiarizando com o cantar da máquina de costura trabalhando e com essa história de tecidos, agulhas e afins…..

Beijinhos!

Hexies pra que te quero….

Olá!

Dia desses, arrumando a banguncinha que sempre fica depois de usar o quarto de costura, me deparei com vários retalhinhos de tecido. Sobras das bonecas que fiz pro projeto Bonequeiras sem Fronteiras. Nao me veio outra idéia, a nao ser fazer hexies! Pra que? Ainda nao sei…. Mas vou fazendo! Uma hora eles me servirão pra alguma coisa! 🙂

Nunca havia feito hexies e resolvi buscar na internet um tutorial e encontrei esse bem legal.

Fazer hexies é super simples e gostoso. Agora entendo o chamego da Simone e da Isa com os hexies…. 😉

Então logo arrumei uma caixa pra colocar os vários retalhinhos cortados, linha, agulha e tesoura que eu levo pra todo lugar. Minha caixa de hexies!

E num sábado a tarde fui pra casa da minha mãe, claro com minha caixa de hexies embaixo do braço! Ela e minha tia Zélia passariam a tarde a fazer uma manta de bebê e eu, feliz da vida, porque passaria a tarde com elas, conversando e, claro, fazendo hexies! Logo que comecei minha tia dispara “Ah…. Sua avó fez muitos fuxicos desses… Mas vc ta usando molde de papel? Ela fazia o molde com aqueles lacres de alumínio que vinha nas latas de leite em pó…. É melhor. É mais durinho.” Como assim? E pra tirar o molde depois que termina o hexie (ou fuxico, como no tempo da vovó…)? Logo minha mãe foi pegar um pedaço de acetato e fizemos o molde e foi me mostrar como ela tinha aprendido a fazer fuxicos… Que delicia aprender de novo com minha mãe! E engraçado que senti uma pontinha de ciúmes por parte dela da tal internet, que me “ensinou” a fazer os fuxicos… Confesso que me arrependi de ter buscado primeiro a internet ao invés da minha mãe…. Perdi a oportunidade de aprender mais uma coisa com ela…. 😦 Mania boba essa de querer ser independente….

Mas nem tudo estava perdido! 🙂 De tanto fazer hexies eu estava com o dedo dolorido, já que nao tenho o hábito de usar muito a agulha pra costurar. A ponta do dedo tava vermelha de tanto empurrar a agulha! Solução? O bom e velho dedal! Lá foi a mamãe procurar nas suas caixas e gavetas um dedal pra me emprestar e me ensinar a usar o tal apetrecho…. Nao é fácil, incomoda no começo e é estranho, já que perdemos o tato do dedo em que fica o dedal. Mas sou teimosa e a vovó usava, vou aprender e usar também! Dito e feito! No fim da tarde eu já estava craque com o uso do dedal e fazendo fuxicos como no tempo da vovó…..

20120301-105000.jpg
Beijinhos!